quinta-feira, 4 de agosto de 2011

INgênuohino

Fico de cá com minha visão de mundo. Tal pátria tal filho. Se sofro, alimento uma alma de artista, é de família. Sentimental, ressentimento, pressentimento. Os olhares que imploram conforto estão perdidos. Sabe encontrar o teu quiçá um espelho. Foco e iluminação. Vai saber reflectir um dia a estrela tão distante. Se engana, desencana. Cuidado filhote, os dias se afastam a medida do avanço. Se recusa a saber de algo, inventa a outra parte pra completar. É igual o passo, um depois do outro. Partir. Nada mais é palpável. desapego? senso de ruptura? Trovoada. Chove tudo novo mundo. É capaz um plano de fuga, desentendimento, rotatória. História mal contada. Desculpa para si mesmo um nariz de palhaço. Vai fazer o circo pegar fogo e depois fugir. Tá amarrado, sai de mim e/se parte. Reza braba pra desencostar. Anda jumento, que o menino amarelo passou do ponto e pelo tempo apodrecido.

3 comentários:

Digo Aqui disse...

Rebarba: Anda menino amarelo, o jumento não vai mesmo andar...

.liuengel. disse...

isso.

Osmar Machado Jr. "Tolstói" disse...

rs