quarta-feira, 19 de maio de 2010

o céu é a promessa, e o verde a esperança

As ruas compõem caminhos sob transe(untes) fico imóvel. Sem-hora revelação chega e conversa comigo. difusa. intrusa. abusa do tempo e revira meus motivos. Vem de fantasia e não me deixa olhar, fazendo-me distrair diante do gato, da árvore, das casas, das folhas e até mesmo da chuva. Não tendo um destino certo me encontro perdida (em pensamentos), e a revira-volta, e a volta escapo. Volta e meia ando, meio fio, meia volta às voltas que o mundo dá. Andar, andar, andar... 'porque andar é reconhecer' e reconhecer é preciso, e 'eu preciso andar um caminho só'. Atravessar, ultrapassar, porque o sinal não passa de sensação. é sensitivo, sensentido. que me faz ser sem pensar. Encontro nas árvores o motivo de subir, na chuva cair e não parar de seguir, no vento a força que move, e assim fluir... porque a vida é inconstante e a lei da natureza é universal. E assim a gente vive, e/ou morre! "o mundo eu sei não esse lá..."

5 comentários:

Rafael dos Prazeres disse...

Feito com desgosto. Desgraça!
Sem sua face, sem sua linha.
Sem suor. Sem graça.
... mais perto do campo grande
q da Barra.

.liuengel. disse...

"não faz disso esse drama essa dor
é que a sorte é preciso tirar pra ter"


assim, contra o sol, só so(m)bra sem cor, sem verde!

Rafael dos Prazeres disse...

Los Hermanos fará show aqui em Salvador. Tá sabendo?

.contos de vista. disse...

nao quando^?^
ME INTROMETO MESMO

Um Passarinho Azul disse...

Eu querooooooooooooooooo